terça-feira, 15 de agosto de 2017

Parabéns, Serra Preta!

Foto: Divulgação.

Serra Preta, terra de povo simples e hospitaleiro. Homens e mulheres de bem que levam a vida de maneira simples e honesta. Terra Santa e abençoada, protegida por Nossa Senhora do Bom Conselho. Bravo de Serra Preta, Ponto de Serra Preta. Serra Preta de norte a sul, Serra Preta de leste a oeste. Serra Preta querida e amada. 

Serra Preta é muito mais que uma simples cidade do interior da Bahia, Serra Preta é uma filosofia de vida. E como diz o poeta cantador, Deni Santana: "Serra Preta meu berço, meu lar, meu pedaço de chão, meu lugar".

Parabéns a queria e amada Serra Preta pelos seus 295 anos de maestria, cuidado e aconchego aos seus filhos e agregados.

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Árvores históricas são destruídas em Serra Preta

FOTO: Divulgação.
Na manhã desta quarta-feira, 26, data em que a igreja católica comemora o dia de Nossa Senhora Santana, padroeira das cidades de Feira de Santana e Ipirá, ambas próximas a Serra Preta. A população do distrito de Ponto foi surpreendida com a destruição total de árvores históricas da Avenida Emérito Gonçalves, no coração do distrito. Com a ação desastrosa, irresponsável e criminal a população foi às redes sociais protestar contra o ato e rapidamente as fotos e moções de repúdio viralizaram nos grupos de WhatsApp.

Centenas de pessoas desaprovaram a destruição das árvores, mas, alguns internautas ainda defenderam a intervenção. O vereador Fabrício de Fidélis (PR) informou ao nosso blog que foi até o local na tentativa de solicitar a paralização do corte das árvores, mas, segundo o vereador, um funcionário da prefeitura que estava no local informou que estava cumprindo as ordens do prefeito do município, Rogério Serafim Vieira de Sousa (PTN), popurlamente conhecido por Aldinho. O nosso blog tentou entrar em contato com o prefeito Aldinho, mas não obtivemos êxito.





"Agora, só restará a população as doces lembranças dessas árvores", declarou o locutor Camilo Azevedo. Já a professora Elcy, disse que ficou de coração partido ao presenciar o corte das árvores.

A repercussão foi muito grande e os internautas estão cobrando uma resposta por parte do poder público municipal.

sexta-feira, 21 de julho de 2017

"Nepotismo em Serra Preta está fluindo como água no rio", diz vereador Fabrício

FOTO: Ilustrativa.

Na manhã desta sexta-feira, 21, os vereadores de oposição ao prefeito Aldinho, Fabrício de Fidélis (PR) e Maizo Oliveira (PMDB) participaram do programa Jornal Transamérica, na rádio Transamérica, em Feira de Santana. Na oportunidade os vereadores esclareceram alguns pontos referentes a desativação da Comarca de Serra Preta, falaram sobre o empenho para a permanência dos cartórios extrajudiciais e eleitoral.

Maizo destacou a importância da união dos políticos neste ato apartidário, onde oposição e situação uniram forças em defesa do município. Maizo também agradeceu o apoio do radialista e deputado estadual, Carlos Geilson (PSDB).

O vereador Fabrício ressaltou a importância da comarca no município e falou sobre a parceria com o prefeito em defesa da população. Polêmico, Fabrício aproveitou o espaço para reafirmar seu compromisso com o grupo de oposição e declarou que retornará ao programa para denunciar o nepotismo no município. "Nepotismo em Serra Preta está fluindo como água no rio. Já provocamos o ministério público e vamos botar este assunto em pauta no  Câmara", declarou Fabrício.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Oposição e situação unem forças em prol de Serra Preta


Na tarde desta segunda-feira, 17, o prefeito de Serra Preta, Aldinho (PTN), o assessor da prefeitura Dr. Tadeu Soares, os vereadores Fabrício de Fidélis (PR), Professor Maizo (PMDB),  Mário Gonçalves (PSD), Adilson do Jacú (PRB), Eliude Miranda (PT), Pastor Magno (PTC) e os deputados Carlos Geilson (PSDB) e Zé Neto (PT) participaram de uma audiência no Tribunal de Jistiça, onde trataram de assuntos relacionados ao bem estar do município e buscaram uma resolução para o problema da Comarca. 

Segundo o prefeito Aldinho, ficou acordado com o TJ a manutenção dos cartórios extrajudiciais do município, tabelionato, registro de imóveis, certidão de nascimento e óbito. Aldinho ainda disse que já está com uma audiência marcada no TRE para discutir a permanência do Cartório Eleitoral no município, pleiteando também, a cessão de uso do prédio do fórum e da casa do juiz, onde funcionará um posto avançado do TJ, que será mantido pela prefeitura.

domingo, 16 de julho de 2017

Aldinho anuncia micareta do distrito de Bravo

FOTO: Divulgação.
Na manhã deste domingo (16) o prefeito de Serra Preta, Aldinho (PTN), em entrevista a Rádio Sociedade 970 AM, na cidade de Feira de Santana, falou sobre a pista de acesso ao distrito de Bravo, acesso esse que era de responsabilidade do governo do estado, mas, segundo o prefeito, foi solicitado a cessão de uso junto ao governo e logo em seguida foi iniciada as obras prometidas em campanha. Ao falar desta obra, Aldinho fez a previsão de entrega a população no mês de outubro, e ainda, anunciou que na inauguração será regatada a micareta do distrito de Bravo, evento tradicional, mas que não vinha sendo realizado a muitos anos. Aldinho ainda falou sobre o gramado do estádio Municipal Zelito Oliveira Leite, também no distrito de Bravo, que já está em fase de conclusão.

Sobre os festejos juninos, Aldinho relatou o resgate cultural do São João do distrito de Ponto, onde a autoestima da população foi revitalizada e as famílias participaram em massa do evento. Além  do São Predro da sede, bastante organizado e com uma expressiva participação popular, foi considerado um dos maiores de todos os tempos. Segundo Aldinho, a prefeitura investiu R$ 290 mil no São João e São Pedro, e acredita que esse investimento rendeu cerca de R$ 1 milhão de retorno ao município, além das centenas de empregos diretos e indiretos que foram gerados durante o período festivo.

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Perguntas e respostas sobre a condenação de Lula no caso do triplex

Foto: Divulgação.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado nesta quarta-feira (12) a nove anos e seis meses de prisão no caso do triplex no Guarujá (SP). De acordo com a denúncia, a OAS pagou R$ 3,7 milhões em propina a Lula por meio da entrega e reforma do imóvel, além do armazenamento do acervo presidencial. Lula foi absolvido da acusação sobre o armazenamento. O ex-presidente nega ser dono do imóvel e ainda pode recorrer.

Entenda o processo:

A prisão de Lula foi decretada?

Não. O juiz Sérgio Moro afirmou na sentença que há pelo menos dois depoimentos dizendo que o ex-presidente orientou a destruição de provas no caso e que, orientado por seus advogados, Lula tem "adotado táticas bastante questionáveis, como de intimidação do ora julgador, com a propositura de queixa-crime improcedente, e de intimidação de outros agentes da lei". "Entrentanto, considerando que a prisão cautelar de um ex-presidente da República não deixa de envolver certos traumas, a prudência recomenda que se aguarde o julgamento pela Corte de Apelação antes de se extrair as consequências próprias da condenação", afirmou Moro na sentença.

Lula foi condenado por todos os crimes?

Não. A condenação foi por corrupção ativa e lavagem de dinheiro por recebimento de vantagens indevidas e de tentar ocultá-las por meio de um triplex em Guarujá. Ele foi absolvido da acusação de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo o armazenamento do acervo presidencial, por falta de prova suficiente da materialidade.

Outras pessoas também foram condenadas?

Sim. Agenor Franklin Magalhães Medeiros, diretor-presidente da área internacional da OAS, foi condenado por corrupção passiva. Já José Adelmário Pinheiro Filho, ex-presidente da OAS, foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O juiz Sérgio Moro absolveu Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula, Paulo Valente Gordilho, arquiteto e ex-executivo da OAS, Fábio Yonamine, ex-presidente da OAS Investimentos, e Roberto Ferreira, ligado a OAS.

Lula ainda pode concorrer a cargo político?

Sim. A Lei da Ficha Limpa só impede a candidatura de condenados por uma decisão colegiada, ou seja, por mais de um julgador. Lula foi condenado em primeira instância por apenas um magistrado, o juiz Sérgio Moro. Moro determinou a interdição de Lula para o exercício de cargo ou função pública ou de diretor, membro de conselho ou de gerência das pessoas jurídicas referidas no art. 9º da mesma lei pelo dobro do tempo da pena privativa de liberdade.

Fonte: G1

Lula é condenado a 9 anos e 6 meses de prisão



O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (foto) foi condenado nesta quarta-feira (12) no caso do triplex no Guarujá (SP). De acordo com a denúncia, a OAS pagou R$ 3,7 milhões em propina a Lula por meio da entrega e reforma do imóvel, além do armazenamento do acervo presidencial. O ex-presidente nega ser dono do imóvel e ainda pode recorrer.

Com essa condenação, o ex-presidente fica inelegível, ou seja, impedido de se candidatar à Presidência ou a outro cargo em 2018?

A Lei da Ficha Limpa impede a candidatura de condenados por uma decisão colegiada, ou seja, por mais de um julgador. Lula foi condenado em primeira instância por apenas um magistrado, o juiz Sergio Moro. Por isso, ainda não está inelegível.

E a defesa ainda pode recorrer ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), onde um grupo de desembargadores vai decidir se mantém a sentença ou se o absolve. O nome dessa decisão colegiada é acordão.

Pedro Horta, especialista em direito eleitoral do Dorta & Horta Advogados, explica que a Lei da Ficha Limpa barra apenas candidatos com condenação em segunda instância. “Se ele tiver uma condenação em primeira instância, só pelo juiz Moro, ele pode ser candidato”, afirma. 

Fonte: G1

terça-feira, 11 de julho de 2017

Vereadores vão à rádio reivindicar a permanência da Comarca de Serra Preta

FOTO: Divulgação.
Na manhã desta terça-feira (11) os vereadores Fabrício de Fidélis (PR), Professor Maizo (PMDB), Maduro (PSL) e o ex-vereador Vando Figueredo (PSB) participaram do programa Jornal Transamérica, na rádio Transamérica, em Feira de Santana. Na oportunidade, a comitiva ressaltou a importância social do fórum no município e defenderam a permanência da comarca no distrito de Ponto.

O vereador Maizo relatou o esforço do prefeito Aldinho pela permanência da comarca junto ao governador Rui Costa, e cobrou a participação e envolvimento do prefeito de Anguera, Fernando Bispo (PT), tendo em vista que a comarca atende aos municípios de Serra Preta e Anguera.

Maduro destacou a importância do fórum para o município e falou sobre o impacto econômico que a cidade sofrerá com a possível saída da comarca. 

Fabrício falou sobre a demanda do fórum, onde cerca de 100 pessoas buscam atendimento diariamente, mas são distribuídas apenas 50 senhas para o cartório eleitoral e mais 20 para os demais serviços.

Evandro Figueiredo cobrou o empenho dos políticos que vão ao município tão somente em busca de votos e que, segundo ele, estão em dívida com a população serrapretense. 

O Fórum Eloy Marques atende a mais de 35 mil pessoas da região e está sem juiz titular desde 2011.